URBANIZAÇÃO 2018-09-06T11:00:39+00:00

URBANIZAÇÃO

A reformulação e modernização na legislação urbanística da Cidade para combinar crescimento social, econômico e sustentável foi uma das bandeiras de Papa, ainda na Secretaria de Planejamento de Santos, e se manteve durante sua gestão na Prefeitura de Santos. Com um novo Plano Diretor e novo regramento para o uso e ocupação do solo, Santos voltou a ser considerada pelos construtores e ganhou novos empreendimentos, sendo o mais emblemático, a instalação da unidade da Petrobras, no Valongo.

Os chamados Prédios Inteligentes ou Verdes também foram criados para colaborar com uma cidade mais sustentável. Entre outros fatores, essas edificações captam água da chuva, reduzindo o impacto na drenagem da Cidade. Com a implantação do Estudo de Impacto de Vizinhança, os empreendedores foram obrigados a compensar o Município pelo impacto de suas obras. Um exemplo é o conjunto residencial Acquaplay, que fez a doação de um terreno à Prefeitura para a construção de uma escola.

Outro projeto bem-sucedido da pasta, o Alegra Centro, criado em 2001, com Papa ainda na Secretaria de Planejamento, ganhou novo fôlego entre os anos de 2005 e 2012, também por conta de iniciativas do Poder Público, que restaurou, neste período, o Teatro Guarany, o antigo quartel dos Bombeiros – hoje a atual sede da Câmara Municipal – e o Museu Pelé. Ao final de 2012, o Alegra Centro registrou 459 obras de conservação e restauro e mais de R$ 147,13 milhões investidos.

Moderna legislação que gerou empregos, especialmente para os jovens em início de carreira, o Programa Call Center (lei 692/2010) estabeleceu isenções fiscais e atraiu empresas do setor para Santos, como a Tivit e Atento, criando centenas de postos de trabalho para toda a Baixada Santista.

Outras ações:  regularização fundiária e criação do Banco do Povo e da Incubadora de Empresas.

Compartilhar