Mais investimentos na Saúde fazem diferença 2018-09-06T11:32:54+00:00

SAÚDE

Investimentos maiores do que os previstos pela Constituição Federal foram a marca do governo Papa na Saúde em Santos – dos 15% previstos para 18,22% do orçamento. A receita própria do Município na área também acompanhou esse salto, passando de R$ 70 milhões em 2004 para R$ 187 milhões em 2011, colocando Santos na lista dos municípios paulistas com mais de 400 mil habitantes que mais destinam recursos per capita à saúde e à educação, segundo a Aequus Consultoria.

Papa apresentou uma solução concreta para o problema da falta de leitos na Baixada Santista, quando comprou por R$ 13 milhões o antigo Hospital dos Estivadores, que seria alvo de leilão, e o tornou novamente um patrimônio santista para ser colocado à disposição do Sistema Único de Saúde e para toda a região.

Outra atitude de coragem da gestão Papa foi a criação do Consultório na Rua, programa destinado ao tratamento de dependentes químicos que vivem nas ruas e que não procuram os serviços de saúde. A unidade móvel, com equipe multidisciplinar, fez quase 2 mil abordagens.

Mais uma inovação na área foi a criação da Central Regional do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), instalado em parceria com o Ministério da Saúde e prefeituras da região, para o resgate de pessoas em risco de morte no menor tempo possível.

Mais avanços foram registrados: 50 unidades de saúde recuperadas ou construídas; aumento de 2 para 15 equipes de saúde da família; mais de 476 mil consultas, 1.700 internações e 130 mil exames mês no SUS – rede municipal e conveniada; 69 unidades municipais de atendimento ao público e ampliação de 21 para 31 unidades básicas de saúde.

A Saúde em Santos, durante o governo Papa, recebeu prêmios e reconhecimento: Renovação do Título Hospital Amigo da Criança para o Silvério Fontes; Menção Honrosa Prêmio Bibi Vogel pelos altos índices de aleitamento; Prêmio David Capistrano de Experiência Exitosa para a Terapia Comunitária; Menção Honrosa pelos resultados da atividade física na atenção básica; Prêmio pela superação da meta de busca de pacientes e em tratamento de Tuberculose; e Aprovação do Ministério da Saúde para o programa Saúde da Família.

Compartilhar